sábado, 8 de junho de 2019

Vingança



      "Vingança"


Sórdido e maléfico sentimento
Essa capacidade de saber sorrir 
Jurando nos olhos o amor isento
Ainda quente e saciada de te trair...


sexta-feira, 31 de maio de 2019



  


Me usa
Me abusa
Vem,me fode sim
Não me agride nem rotula
Te açoito o rabo e te marco a quente
Como senhor do teu destino,da tua alma
Te lambuzo os seios túrgidos e te tomo sem freio
Mesmo na distância, mesmo estando ausente
Sente o meu domínio e como te possuo por inteiro...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019



Sobre os posts e quejandos e tantos mitos urbanos...

Adoro os posts encantados do nosso fake Face.
São a praga diária dos nossos feeds masok
Normalmente chegam das mulheres feias 
Ou dos homens fiéis com dor de corno
As primeiras,apregoam a beleza interior
A força do espírito casto e voluntarioso
Os segundos,a sacrossanta mesquinhez
Do cavalheirismo,amantes da desfaçatez...

Podes ser fria,feia,nariguda
Ter mãos de lixa e joanetes
Mas és aquela a luz que nos ilumina
A mais serena força que nos fascina
Podes ser sacana e mal formado
Impiedoso e falso e atormentado
Mas tens essa ímpia arte de enganar
Qual contador de histórias de encantar...

Adoro estes lupanares da beleza virtual
Onde se fornicam o bem e o mal
Amena cavaqueira de falsidade
Onde casualmente se encontra
Alguém que não te confronta
Com a sua mais pura maldade
  

quarta-feira, 24 de outubro de 2018






                              "Soneto simples"

    Frenético e disruptivo
    Esse teu vai e vem de tristeza...
    O amor fica mais frio e assertivo
    E te consome em chamas de incerteza

    Ora amargo ora doce nesse pecado consentido
    Assim vais transpondo o céu para lá das estrelas
    E se acaso me turvarem os olhos, feliz por ver-las
    Deixa que os limpe sem vergonha no teu vestido...

    Não sei se ainda me queres ver
    Talvez seja bom não saber...
    Espero novas do vento

    Na incerteza do teu querer
    É bom saber que te vou ter
    Na volúpia do meu pensamento...

quarta-feira, 3 de outubro de 2018





Te levo para voar sem limites
E te sinto assim,perdida
À deriva, em mim...
Mil quadros mil deleites
Vou-te beijando assim despida
Esses lábios carmim

Te desfruto como se fosses única
Nesse olhar de fêmea impudica
Visualizo a tua boca túrgida e quente
Onde ávido me afogo sofregamente
Me abraças carente, tórrido amplexo
Enquanto te vou acariciando o sexo...

quarta-feira, 25 de julho de 2018






Esventra-me este corpo mutilado,exangue
Atira-me ácido,o teu fel,esfrega-me com mel
Arrasta-me para o teu ninho,chama-me infiel
Mas não faças de mim esse cachorro que lambe
As feridas antigas,os teus traumas e desenganos
Porque antes de seres pensantes fomos
Somos e... quiça sempre seremos?
Humanos.

segunda-feira, 28 de maio de 2018





Condição "sine qua non"
Para manter o "frisson"
Das loucas paixões
É ter noção que um abraço
Sempre gera um espaço
Entre dois corações

Vou dar-te o meu calor
E para além além do amor
A minha constelação
Sangue fervendo na veia
Um copo de "Lua cheia"
E o toque da minha mão